notícias

Semana do Meio Ambiente

Publicada: 01/06/2021

Fonte: Bioplanet

Na primeira semana de junho, comemoramos a semana Nacional do Meio Ambiente. Esta semana foi instituída pelo Decreto 86.028/ 1981, como complementação à celebração do Dia do Meio Ambiente, 05/06. A iniciativa visa incluir a sociedade nas discussões das pautas que tratam da preservação do meio ambiente, patrimônio natural do Brasil, e conscientizar a população sobre a importância de preservar os diferentes ecossistemas. Durante esta semana diversas atividades serão realizadas, nos levando a pensar sobre os impactos das ações humanas sobre a natureza, e a refletir sobre nossos processos, padrões de consumo e rever nossos conceitos.  

O conceito de ecoeficiência, por exemplo, foi um dos primeiros a combinar os aspectos de valor econômico e valor social, tendo como objetivo as ações corporativas. Mais tarde, a preocupação direta com o ambiente, se ampliou para o sócio-ambiental integrando pessoas e levado a ações corporativas atrativas aos olhos do valor econômico, melhorando o custo dos produtos vendidos, ao mesmo tempo reduzindo impactos ambientais e sociais. Estas e outras ideias deram início a um movimento por gestão responsável nas empresas onde os gestores são levados a buscar soluções inovadoras e sustentáveis para seus processos com ações voltadas para redução de resíduos, redução no uso de materiais e energia, reutilização e reciclagem de insumos, passando a integrar programas de gestão que variavam em torno dos chamados 3Rs - reciclagem, redução e reutilização.

Como reduzir o impacto ambiental

Quando pensamos nos impactos ambientais causados pelas nossas atividades e nas possibilidades e processos envolvidos, tudo parece muito complexo. Promover a mudança é necessária e neste sentido qualquer ferramenta ou sistema que auxilie no levantamento dos impactos ambientais e nas suas soluções, deve ser considerada. Sistemas e programas de qualidade já consolidados, sob um novo olhar, o da sustentabilidade podem trazer inúmeros benefícios e auxiliar as empresas na verificação e melhoria contínua dos requisitos ambientais, tão importante nos dias de hoje.

Uma destas ferramentas é o Mapa de Fluxo de Valor, muito usado no sistema “Lean”. Mas como podemos relacionar mapa de fluxo de valor e impactos ambientais, ou melhor, como podemos fazer o mapeamento de impactos ambientais do fluxo de valor?  Quando nos deparamos com poluição ambiental causada por emissões atmosféricas, despejos de efluentes industriais e esgoto, solo contaminado por resíduos, por falha ou desconhecimento, não associamos esta situação como desperdícios de processos. Apenas identificamos e cobramos que os responsáveis se responsabilizem, mas é importante ampliar o nosso olhar, ir além do convencional.

O mapeamento dos impactos ambientais do fluxo de valor é um guia para a transformação lean na gestão de recursos e resíduos. Em sua maioria os  processos envolvem diferentes entradas e saídas, sendo assim será que seria correto dizer que quanto maior a quantidade de resíduos gerados em um determinado processo, menos eficiente ele é? Esta é a relação de mapa de fluxo de valor e sustentabilidade, melhorar os processos e utilização dos recursos, produzir mais com menos.

Esta metodologia pode ser usada como estratégia de negócios, com objetivo de utilizar melhor os recursos, visando agregar valor ao produto, no menor tempo possível, com alta qualidade e com os custos mais baixos. Trata-se de representar visualmente fluxos de insumos e desperdícios ambientais da produção. Permite racionalizar a uso de insumos, bem como reduzir as causas de geração de resíduos, através de melhorias bem orientadas.

Uma outra forma prática de desenvolver a consciência sobre o meio ambiente dentro das empresas é implantando o programa 5S. Um programa de gestão de qualidade que visa aperfeiçoar aspectos como organização, limpeza e padronização, princípios usados para melhoria contínua. O senso da utilização prega que devemos ter no ambiente de trabalho recursos adequados e na quantidade necessária. O programa 5S em um dos seus desdobramentos faz críticas severas a aquisição e consumo desnecessários de recursos como água e energia, tornando-se uma ferramenta de grande ajuda quando falamos na gestão dos recursos.  

Mas não paramos por aí, existem ferramentas voltadas especificamente para redução de resíduos através da mudança de comportamento e na forma como as empresas lidam com os resíduos gerados. Estamos nos referindo a política do 5R’s.

Os 5R’s fazem parte de um processo educativo, cujo principal objetivo é uma mudança de hábitos diários das empresas e de seus trabalhadores. Consistem em cinco ações: Repensar necessidade real de compra; Recusar a geração de resíduos; Reduzir o consumo e o desperdício; Reutilizar materiais, evitando o descarte e; Reciclar transformado os resíduos em outros produtos e fazendo com que retorne a cadeia produtiva. Ao adotar a política dos 5R’s da sustentabilidade, as empresas irão repensar seus valores e práticas obtendo benefícios a médio e longo prazo, como a melhoria na imagem, economia de recursos, satisfação de clientes e colaboradores, adequação a legislação, entre outros.

É impossível ignorar a importância da discussão sobre a sustentabilidade, pois as cobranças por parte da sociedade e dos clientes são cada vez maiores. É fundamental que os gestores percebam que incorporar valores de respeito ao meio ambiente em sua cultura, representa uma excelente oportunidade de crescimento e que ser sustentável também pode ser considerado um artifício para que a empresa se torne competitiva e alcance o sucesso tão sonhado.

Quer saber mais sobre estas e outras ferramentas que podem ser usadas para gestão ambiental, entre em contato, que nós podemos identificar a que melhor se aplica a realidade da sua empresa.